A+ A-

As instituições do ensino superior de Macau promovem activamente os trabalhos de formação de quadros qualificados bilingues nas línguas chinesa e portuguesa

  Realizou-se, recentemente, a primeira reunião, do corrente ano, do “Grupo de Trabalho sobre a Formação dos Quadros Bilingues Qualificados nas Línguas Chinesa e Portuguesa”, constituído pelas seis instituições: Universidade de Macau, Instituto Politécnico de Macau, Escola Superior das Forças de Segurança de Macau, Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau, Universidade da Cidade de Macau e Universidade de São José. Na reunião, os representantes das instituições trocaram opiniões sobre os trabalhos de formação de quadros bilingues qualificados nas línguas chinesa e portuguesa.

  A reunião foi presidida pelo Coordenador-Adjunto do Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES), Chang Kun Hong. O Coordenador-Adjunto disse que “Um Centro, Uma Plataforma” é uma das metas estratégicas de desenvolvimento do Governo da RAEM, o Governo tem-se esforçado por promover Macau como uma “Base de Formação dos Quadros Bilingues Qualificados nas Línguas Chinesa e Portuguesa”. Com o apoio das instituições, o GAES recolheu os planos de trabalho das sete instituições de Macau sobre os quadros bilingues qualificados nas línguas chinesa e portuguesa, integrando-os para um plano de acção do projecto da “Base de Formação dos Quadros Bilingues Qualificados nas Línguas Chinesa e Portuguesa”. O mesmo afirmou que o respectivo plano de acção abrange a formação de docentes de línguas chinesa e portuguesa, a criação do Laboratório de Língua portuguesa, o desenvolvimento de materiais didácticos de língua portuguesa, a criação de cursos on-line de língua portuguesa, de base de dados sobre estudos de língua portuguesa, bem como a formação do ensino de língua chinesa como língua estrangeira, a formação de quadros qualificados de chinês e português profissionais na área do turismo, entre outros. Espera-se que a reunião permita às instituições perceberem a respectiva situação, criando intercâmbio e plataforma de cooperação para as mesmas instituições, integrando os seus poderes e fazendo com que os recursos sejam aproveitados com a maior eficiência.

Dados da formação de quadros bilingues qualificados em chinês e português ajudam o planeamento da formação das instituições

  Na reunião, o GAES apresentou os dados estatísticos sobre a formação de quadros bilingues qualificados nas línguas chinesa e portuguesa no ano lectivo 2016/2017. Foram 755 os estudantes matriculados nos cursos do ensino superior da área de língua portuguesa nas instituições do ensino superior de Macau, no ano lectivo 2016/2017, sendo 2875 os estudantes matriculados em outros cursos de língua portuguesa, incluindo cursos Minor, disciplinas obrigatórias, disciplinas opcionais, cursos de Verão, classes de recreação e outros. São ainda 177 os estudantes de Macau que estudam em Portugal com bolsas-mérito e bolsas-estudo atribuídas pela Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, pelo Fundo de Acção Social Escolar, pela Fundação Macau e Comissão Técnica de Atribuição de Bolsas para Estudos Pós-Graduados, entre outros serviços públicos. Além disso, no ano passado, foram 200 os estudantes graduados de cursos do ensino superior relacionados com a língua portuguesa, nos quais a língua veicular é, principalmente, a portuguesa, das instituições do ensino superior. As instituições participantes consideram que os respectivos dados ajudam a compreender a situação da formação de quadros qualificados bilingues e, conforme as metas de políticas e as necessidades da sociedade, e a concretizar melhor os trabalhos da formação dos respectivos quadros qualificados.

Requerimento activo dos Financiamentos Especiais

  Além disso, o GAES apresentou a situação do requerimento dos Financiamentos Especiais para Formação de Quadros Qualificados Bilingues em Chinês e Português e para a Cooperação do Ensino e da Investigação das Instituições do Ensino Superior de Macau de 2017. Foram recebidos no total 40 requerimentos entregues pelas 4 instituições do ensino superior, representando um aumento de cerca de 50% comparado com o ano passado. Os requerimentos envolvem a cooperação de ensino e investigação, a realização de seminários e fóruns, a formação de quadros, o desenvolvimento de materiais didácticos e de obras, entre outros.

  Estiveram presentes na reunião: Jin Hong Gang e Iau Teng Pio, directora da Faculdade de Letras e director assistente da Faculdade de Direito da Universidade de Macau; Luciano Santos Rodrigues de Almeida e Carlos Ascenso André, director da Escola Superior de Línguas e Tradução e chefe do Centro Pedagógico e Científico da Língua Portuguesa, do Instituto Politécnico de Macau; Leong Chi Seng e Chang Ngan Meng, chefe funcional e comissária alfandegária da Escola Superior das Forças de Segurança de Macau; Sun Jian Rong, director do University International College e vice-reitor associado da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau; Rui Manuel Sousa Rocha, professor do Departamento de Língua Portuguesa e Cultura dos Países de Língua Portuguesa da Universidade da Cidade de Macau; Maria Antónia N. Espadinha, Alan Norman Baxter e Vera Borges, vice-reitora, director da Faculdade de Humanidades e coordenadora do Departamento de Português da Universidade de São José; Io Iok Fong, Stephanie, chefe funcional do GAES.

2017-05-08

bg 1220